O que é Conjuntivite? Como evitar? Como tratar?
Você já fez uma dessas perguntas? Se sim, fique tranquilo. Você está longe de ser o único com essas dúvidas. Esse é um assunto que sempre traz preocupações e incertezas. Por isso, vamos tirar algumas das suas dúvidas sobre o que é conjuntivite, quais os principais tipos de conjuntivite que existem, como prevenir, e como tratar a conjuntivite.

O que é Conjuntivite?

ite (do grego itis ou ite) = inflamação.

conjuntiva = membrana transparente que reveste a parte da frente do globo ocular e a parte interna das pálpebras.

Portanto, conjuntivite é a inflamação dessa membrana fina que reveste grande parte do olho.

Os Principais Tipos de Conjuntivite

Existem 6 tipos de Conjuntivite: a Viral, a Bacteriana, a Alérgica, a Fúngica, a Gonocócica e a de Inclusão. Porém, as que mais afetam os individuos são a Conjuntivite Viral, a Conjuntivite Bacteriana, e a Conjuntivite Alérgica.

Conjuntivite Viral

Causas: a conjuntivite viral é causada por um vírus chamado Adenovírus, e costuma ser o caso mais comum de conjuntivite.

Sintomas: o olho parece estar com areia, ou um corpo estranho. Gera forte lacrimejamento. O olho fica vermelho e coça. Pode grudar ao acordar.

Transmissão: é altamente transmissível. Basta que se tenha contato com a secreção do olho para ser infectado. Portanto, se alguém com conjuntivite viral passar a mão no olho, em seguida tocar em algum objeto e, logo depois esse objeto for tocado por uma segunda pessoa, essa última será infectada. Nenhuma conjuntivite é transmitida pelo ar, ou seja, o virus não sobrevive por muito tempo no ar. Para a transmissão é necessário que haja contato. Porém, caso a pessoa com conjuntivite esteja espirrando ou tossindo, ela pode transmitir o virus a uma pessoa próxima, pois as micropatículas da secreção poderão se deslocar junto com o ar expelido pela pessoa.

Tratamento: em geral, são usadas compressas com soro fisiológico para refrescar os olhos e diminuir a sensação incômoda. Um colírio também pode ser indicado por um oftalmologista para diminuir os sintomas. Na maioria das vezes, a doença se cura sozinha em até duas semanas após seu início.

Conjuntivite Bacteriana

Causas: a conjuntivite bacteriana é causada por 5 bactérias especificas: Streptococcus pneumoniae; Staphylococcus aureus; Moraxella catarrhalis; Pseudomonas aeruginosa; Haemophilus influenzae.

Sintomas: o inchaço é maior do que no caso da conjuntivite viral, e uma secreção de tom esverdeado ou amarelado surge no olho. Quase não existe lacrimejamento. O olho também fica vermelho. Ao acordar, o olho pode grudar.

Transmissão: ocorre da mesma forma que na conjuntivite viral.

Tratamento: em geral se dá através da aplicação de amtibiótico em gotas ou pomadas, e pela higiene do local com soro fisiológico.

Conjuntivite Alérgica

Causas: a conjuntivite alérgica surge em decorrência de hipersensilibidade (alergia) a substâncias diversas, como por exemplo pelos de animais, pó, etc.

Sintomas: é a conjuntivite que em geral causa maior inchaço no olho. A coceira também é intensa. O lacrimejamento e a vermelhidão não são tão intensos como nos demais tipos de conjuntivite. Sensibilidade ou intolerância a luz, assim como uma sensação de queimação dos olhos, também são sintomas da Conjuntivite Alérgica.

Transmissão: não é transmissível.

Tratamento: para a conjuntivite alérgica, o melhor é a prevenção, pois, por ser consequencia de uma alergia, surgirá outras vezes caso o paciente entre em contato com o fator gerador do episódio alérgico. Assim, caso a alergia seja desencadeada por poeira, é importante livrar o ambiente o máximo possivel dessa substância. O tratamento se dá através da aplicação de colirios e da ingestão de anti-histamínicos.